A ANACOM assegura um serviço permanente de monitorização e controlo do espectro radioelétrico que visa garantir que as re

des e estações de radiocomunicações operam sem interferências prejudiciais. Foi no âmbito desta atividade que a ANACOM, em colaboração com a NAV Portugal, resolveu uma interferência no Aeroporto de Lisboa reportada por uma empresa, sediada nos Estados Unidos da América (EUA), que utiliza o serviço ACARS (Aircraft Communications Addressing and Reporting System) e VDL2 (VHF Digital Link) a partir dos EUA.

Através de testes e ensaios conjuntos efetuados pela ANACOM e pela NAV foi encontrada a origem da interferência. A intervenção e investigação das equipas técnicas da ANACOM permitiram identificar a razão que justificava o padrão da interferência e procurar a solução para o problema, permitindo que o serviço prestado às aeronaves e “controlado” a partir dos EUA passasse a ser realizado na sua plenitude. Ação de resolução de interferência no Aeroporto de Lisboa. Ação de resolução de interferência no Aeroporto de Lisboa.

As aeronaves comerciais estão repletas de meios de comunicação rádio, em diversas faixas do espectro radioelétrico, que permitem uma comunicação entre pilotos e controlo de tráfego aéreo, bem como um conjunto de meios de ajuda à navegação aérea. Estes meios fundamentais de comunicação, entre as aeronaves e as estações em terra, garantem a segurança de voo e, consequentemente, a salvaguarda da vida humana.

Consoante a função que visam cumprir, os serviços de comunicações aeronáuticos são classificados em safety e non-safety. Nas comunicações do tipo safety enquadram-se as asseguradas pelo ATS (Air Traffic System), ATC (Air Traffic Communications) e AOC (Aeronautical Operational Control Messages - ACARS Aircraft Communications Addressing and Reporting System e VDL2 - VHF Digital Link). Era exatamente um destes sistemas que se encontrava a ser interferido e que implicou a intervenção das equipas técnicas da ANACOM para promover a solução do problema.